QUEM SOU EU ???

Minha foto
Alguém que acredita no carisma da "COMUNHÃO", da comunhão de vida, e é justamente por esta razão que quero dividir a minha experiência com Jesus com você. Frases Bíblicas: "Nós somos loucos por amor de Cristo..." (I Coríntios 4,10). "...Porque estou enferma de amor" (Cântico dos Cânticos 2,5). "Quanta razão há de te amar!" (Cânticos dos Cânticos 1,4). "...O Teu nome é como um perfume derramado" (Cânticos dos Cânticos 1,3). "Como és belo. meu amor! Como és encantador!" (Cânticos dos Cânticos 1,16). "Porque onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração" (Mateus 6,21 e Lucas 12,34). "...Amas-me mas do que estes?...Amas-me?...Amas-me?..." (João 21,15-17). "Eu sou o caminho, a verdade e a vida" (João 14,6).

OBRIGADA PELA VISITA !!!

contador de acesso

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

"A MAIOR ESPERANÇA DO MUNDO FOI E CONTINUA SENDO JESUS !!!"


Obs: Imagem extraída do site: http://vandersonmoreyra.blogspot.com/



“A MAIOR ESPERANÇA DO MUNDO FOI E CONTINUA SENDO JESUS !!!”

A verdadeira esperança não se limita a uma atitude mental positiva; é muito mais que o sonho de um otimista. Tampouco está baseada nas promessas encantadoras dos grandes líderes da terra. Na realidade, não existe ação ou pessoa que possa acender uma esperança estável no fundo do coração humano.

Então, onde está o segredo? Onde está a fonte de tão alta virtude? É uma utopia falar sobre ela, ou é algo alcançável? Ao longo da história, a humanidade tem depositado sua confiança em sistemas políticos, para depois ficar totalmente desencantada, frustrada e sem esperança. Durante séculos, se pensou que a razão e a inteligência humana (os sistemas filosóficos) trariam esperança para o nosso planeta, mas, em vez disso, apenas ajudaram a aumentar a crise existencial das pessoas. Em contrapartida, milhões de pessoas nos asseguram que a maior esperança do mundo foi e continua sendo JESUS CRISTO. Ele é a fonte da esperança para o planeta e para cada um individualmente.

“JESUS: UM HOMEM INCOMUM !!!”

Napoleão Bonaparte se encontrava cativo na ilha de Santa Helena, onde morreu em 1821. Certo dia, ele comentou com seu fiel colaborador, o general Bertrand: “Escute, Jesus Cristo não é um homem. Seu nascimento, a história de sua vida, a profundidade de Sua doutrina, Seu Evangelho, Seu império, Sua marcha ao longo dos séculos, tudo isso é para mim uma maravilha, um mistério inexplicável. Alexandre, César, Carlos Magno e eu fundamos impérios, mas em que se fundamentam as criações de nosso gênio? NA FORÇA. Somente Jesus Cristo fundou um império com base no AMOR, e neste exato momento milhões de pessoas morreriam por Ele.”

Enquanto os grandes guerreiros e conquistadores se moveram pelo AMOR AO PODER, JESUS CRISTO agiu com o “PODER DO AMOR”. E, em resposta a Sua entrega redentora, quantos milhões de homens e mulheres entregam a vida a Ele!

Por isso Napoleão continuou dizendo: “Só Cristo conseguiu conquistar de tal maneira a mente e o coração dos homens que para Ele não há barreiras de tempo nem espaço. Pede o que o filósofo em vão busca de seus adeptos, o pai de seus filhos, a esposa de esposo; pede o CORAÇÃO... O maravilhoso é que Seu pedido é atendido ! Todos os que sinceramente creem em Cristo experimentam esse amor sobrenatural para com Ele, fenômeno inexplicável, superior a possibilidades humanas... Isto é o que mais me surpreende; o que me faz meditar com frequência; o que me demonstra, sem dúvida alguma, A DIVINDADE DE JESUS CRISTO.”

Napoleão teve que chegar ao cativeiro e ao exílio para pronunciar essas palavras e reconhecer a realidade do PODER DE JESUS. A trajetória de sua vida teria sido muito diferente se ele houvesse pensado em Jesus enquanto conquistava espaços e destruía vidas arbitrariamente em busca de uma glória vã e passageira.

Ao testemunho de Napoleão poderíamos acrescentar muitos outros do mesmo teor. Durante sua vida, essas pessoas ignoraram Cristo e até se opuseram a Ele tenazmente, mas, no fim do caminho voltaram atrás. Podemos mencionar, por exemplo, a atitude de Voltaire (1694-1778), o célebre escritor francês que se gloriou de agnosticismo. Ele se esforçou para desprestigiar o cristianismo e seu Fundador, e até animou-se a predizer que a fé cristã iria desaparecer. Mas, na hora de sua morte, Voltaire abandonou sua postura anterior, pediu perdão a Deus e exclamou: “CRISTO! CRISTO !” De quantas bênçãos se privou esse grande incrédulo ao longo de muitos anos por se haver levantado contra a pessoa de Jesus! Podia ter tido paz, mas não a teve; a alegria, mas tampouco a teve; a esperança, mas achava que não necessitava dela! Podia ter se sentido um Filho de Deus, mas foi apenas filho de suas próprias ideias anticristãs!

Terminamos esta seção recordando as palavras do oficial romano que esteve diante de Jesus durante a crucificação. Impressionando pela dignidade de Cristo e pelas palavras que pronunciou da cruz, o soldado exclamou quando Jesus expirou: “VERDADEIRAMENTE, ESTE HOMEM ERA FILHO DE DEUS !” (Marcos 15,39)

Não é uma contradição negá-lo tanto e até crucifica-lo para, no fim, reconhecer que o Crucificado “era o filho de Deus?” A obstinação pode fazer com que a pessoa insista em rejeitar as evidências da divindade de Jesus Cristo. Porém, isso não resolve o problema humano. Aceitar Jesus com o Messias Divino nos assegura a rica benção que somente Ele pode dar. Saliente no coração esta linda verdade!

O apóstolo Paulo declara que Cristo: “é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois NELE foram criadas todas as coisas nos céus e sobre a terra(...)Ele é antes de todos as coisas. NELE, tudo subsiste” (Colossenses 1,15-17).

Obs: Texto retirado da Obra: “Ainda existe esperança: A solução para os problemas da vida”, autor: Enrique Chaij, tradução: Fernanda Coroline de Andrade Souza, Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 25ª edição, 2010. Páginas:11, 16 e 17. Site da editora: www.cpb.com.br

Um comentário:

  1. Kátia Regina:

    Desejo a você e a todos que lhe rodeiam um ano de 2012 mais brilhante, e que Jesus de Nazaré esteja presente em todos os seus passos, protegendo-os e como sempre, abençoando-os.

    Felicidade,

    José Mendes Pereira

    ResponderExcluir